06 dezembro 2005

Diagnóstico!

Estou neste momento muito apreensivo...
Com as mãos geladas, passando mal, esperando uma resposta, uma solução, um apalavra, sei lá algo que me conforte, que me sacie.
Fé eu tenho muita, quantidade essa que me dá forças, para enfrentar esse cotidiano suicida...
Poucas palavras amigas foram proferidas...
Preocupação, esse é um estado que me define a quase 1 semana, me sinto num estado temporário de corrosão, acho que a minha hora está chegando, de alguém falar algo, seja confortável ou seja essa de caráter malíguino...
"quanto mais eu aprendo, menos entendo", frase essa se concretiza a cada dia nesta vida maravilhosa que tem sido e há de continuar sendo graças ao Altíssimo e o TODO PODEROSO. Sinto um frio descomunal, um arrepio que começa na espinha dorsal terminando na glândula pineal, não deixando assim, eu racionar de forma clara e concisa... estou à beira de um ataque de nervos compulsivos, esse não deve ter cura... somente depois da decisão ser dita, até o momento estou esperançoso, porém agoniado esperando o fim dessa minissérie da vida real, que eu nunca pensei q iria acontecer comigo mas, está...
Meus sentidos não estão mais aguçados como deveriam estar, parece que estou enclausurado dentro desse perímetro ( minha mesa e minha cadeira ), confinado sem poder se mover ou se levantar, perplexo esperando algo que seja realmente BOM, porque os otimistas sempre vencem apesar das situações adversas...
Está difícil criar um parâmetro linear de idéias, para que juntas consigam exprimir minha atual situação seja ela de emoção ou tristeza, me sinto culpado disso tudo... Não sei porque....
(Relato de um anônimo, prestes a participar da estatística de desemprego do governo Lula).